Main Menu

Conheça a Fema

bacia paranapanema

Reunião dos Comitês do Paranapanema

Fema participa de seminário sobre estudos hídricos

Escrito por Silvio Moura

Assessoria de Comunicação Fema

 

A Fundação Educacional do Município de Assis – Fema participou em abril do I Seminário das Instituições de Ensino Superior da Bacia do Paranapanema para discutir as questões hídricas da região.

O encontro reuniu os comitês locais de São Paulo (Alto, Médio e Baixo Paranapanema) e do Paraná (Tibagi, Norte Pioneiro e Piraponema) que desde 2012 formam o comitê federal do Paranapanema.

Integrante do grupo do Médio Paranapanema, a Fema, por intermédio do CEPECI, o Centro de Pesquisas de Ciências, foi convidada nesse primeiro encontro, em Presidente Prudente. “Desenvolvemos vários estudos relacionados ao estudo das águas da bacia”, diz Elaine Amorim, do CEPECI, e professora do curso de Química Industrial.

 “O seminário serviu para que todos nós nos conhecêssemos. Saber quais os projetos estão sendo desenvolvidos em cada um dos comitês”. Instituições de ensino superior como a Unoeste, de Presidente Prudente, a UEL, de Londrina, e a UEM, de Maringá, além da Fema, são algumas das unidades de ensino da região que constantemente desempenham pesquisas sobre o rio Paranapanema.

Dentre as ações definidas no seminário, ficou estabelecida a criação de um grupo de discussões, um centro de estudos com banco de dados para compartilhar e aprofundar as pesquisas. “A expectativa também é que as instituições com linhas de estudos semelhantes se juntem para melhorar a captação de recursos”, diz Elaine Amorim.

 

Fehidro

As bacias hidrográficas do país têm um órgão colegiado, tripartite e com presença do estado, cidade e sociedade civil que gerencia assuntos referentes às questões hídricas. As instituições filiadas aos chamados comitês podem apresentar projetos para captar recursos e assim desenvolverem suas pesquisas.

A Fema, em 2016, conta com duas linhas de estudos fomentadas pelo Fehidro, o Fundo Estadual de Recursos Hídricos. Uma delas avalia a qualidade das águas na sub-bacia do Pari e a quantidade de metais presentes. A outra pesquisa também analisa a qualidade das águas, neste caso, porém, das nove nascentes urbanas de Assis.

O Fehidro atua no aporte financeiro aos projetos, porém cabem aos agentes técnicos acompanhar a execução dos trabalhos. Nas pesquisas em andamento no CEPECI, esse monitoramento cabe a Cetesb, a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental.

 

LEIA MAIS NOTÍCIAS